quarta-feira, 7 de abril de 2010

Os discípulos de Tales

Após a teoria de Tales, o primeiro cientista filósofo, um de seus discípulos chamado Anaximandro, também da cidade de Mileto, abandonou a ideia de seu mestre. Segundo ele, a essência da matéria não poderia ser uma substância comum, como a água. “Anaximandro postulou a existência de uma substância abstrata, o ilimitado, de onde tudo nascia e para onde tudo fluía. Esse fluxo constante de criação e destruição não se restringia às coisas da Terra. Nos céus também mundos surgiam do ilimitado e para ele voltavam, dissolvendo-se na imensidão do tempo” (GLEISER, 2008, p.10). Anaximandro chamava este elemento formador de todas as coisas de ápeiron, (palavra que significa “indeterminado” ou “ilimitado”) do qual provinham os pares de opostos (fogo e água, frio e calor, seco e úmido etc) que constituíam o mundo. Todas as transformações químicas, para ele, seriam resultado da interação entre os opostos.
Anaxímenes, outro discípulo de Tales, refutou a teoria de seu mestre e também a de Anaximandro. Em relação à teoria de Tales, Anaxímenes se perguntou: Se tudo é formado de água, como se explica a diversidade de materiais do mundo? Como a água havia se tornado todas as coisas?
Anaxímenes pensou, então, que o elemento fundamental formador da matéria não seria a água, mas sim o ar. Ele imaginou que se o mundo era cheio de ar, este ficaria mais comprimido quanto mais se aproximava do centro da terra. De acordo com Anaxímenes, à medida que o ar se comprimia, se transformava em água; a água, por sua vez, ao ser comprimida se transformava em terra que ainda mais comprimida, se tornava pedra.
Para Anaxímenes todas as coisas materiais eram formadas por rarefação ou condensação do ar. Acreditava que a alma seria ar, que o fogo era ar rarefeito (ar com grande afastamento entre as partículas) e que quando ocorria a condensação, o ar se transformava em água, que se condensando ainda mais se transformava em terra, que se condensando ainda mais se transformava em pedra.
A história das teorias sobre a composição da matéria é grande, e ainda tem muito mais a ser contado. Aguarde a próxima postagem! Qualquer dúvida envie um comentário.

REFERÊNCIAS:

GLEISER, M. Mundos invisíveis – Da alquimia à física de partículas. Editora Globo, 2008.

STRATHERN, P. O sonho de Mendeleiev: a verdadeira história da química. Jorge Zahar editora LTDA, Rio de Janeiro, 2002.

REIS, M. Completamente Química. FTD, São Paulo, 2001

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião, dúvida, sugestão ou crítica construtiva é importante para mim. Comente.